Belo Horizonte: barulho prejudica micos em parque urbano

Vandre Fonseca
05.07.2011
Mico-estrela (Callithrix penicillata) prefere lugares calmos à oferta de comida. Foto: Roberto J Young

Mico-estrela prefere tranquilidade à comida, foto: Robert J Young

O barulho da cidade grande e dos visitantes tem alterado o comportamento natural dos micos-estrelas (Callithrix penicillata) no Parque Municipal Américo Renné Giannetti, no Centro de Belo Horizonte (MG). Em vez de serem encontrados principalmente nas áreas onde têm alimentação mais abundante, preferem se refugiar em locais mais calmos, mesmo que a oferta de comida não seja tão farta. O estudo foi publicado na edição desta semana da Biology Letters, por pesquisadores da Pontíficia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG).

Para o coordenador do Curso de Pós-graduação em Zoologia de Vertebrados da PUC-MG, Robert J. Young, o barulho pode provocar estresse nos animais e prejudicar a capacidade deles se comunicarem. “Comunicação é essencial para sua sobrevivência”, destaca. Segundo ele, o elevado nível de ruído diminui também a área utilizada pelos animais, O Parque Américo Renné Giannetti ocupa 18 hectares em uma área de intenso tráfico de veículos e de pessoas. Ele abriga cerca de 50 espécies de animais.

Animais se afastam das trilhas mais visitadas, foto: Robert J Young

Ao compararem dados sobre a presença do bicho em várias partes do parque com os níveis de ruídos, pesquisadores da PUC-MG descobriram que, apesar dos alimentos preferidos dos animais estarem próximos às bordas do parque, os micos preferiam passar a maior parte do tempo em áreas mais centrais e menos barulhentas.

Este comportamento contraria o que foi verificado em micos da mesma espécie em ambiente selvagem, onde eles buscam os melhores locais para se alimentar com facilidade. Na cidade, mesmo nos fins-de-semana, quando visitantes vão ao parque para ver e alimentar os micos, eles preferem se afastar. O estudo demonstrou que aos domingos, quando aumenta o número de visitantes, os animais preferem se afastar das trilhas.

O estudo destaca também que apesar dos efeitos do barulho das cidades nos seres humanos serem bastante estudados, a perturbação sobre os animais só começou a ser compreendida há pouco tempo, e mesmo assim com estudos sobre pássaros. Ainda se sabe pouco sobre o efeito do problema em animais terrestres.

 

Leia mais

Ruído prejudica fauna

Macacos pagam o pato

Barulho no mar afeta polvos e lulas

 



Tags: , , , ,




Dia do Meio Ambiente: confira o que vai rolar por aí

Luana Caires
04.06.2011

Pegue uma caneta e faça o seu roteiro. Atividade é o que não falta!; foto: Reprodução

Este domingo, 05/06, promete ser agitado: terá exposições, shows com grandes nomes da música nacional até oficinas de arte com sucata. Para você não fica fora dessa, ((o)) Eco preparou uma listinha com os destaques da programação de 6 grandes cidades brasileiras.

Belo Horizonte

Atividades culturais e  educacionais na capital mineira: No Parque das Mangabeiras, as crianças poderão aprender a reaproveitar materiais para criar jogos educativos e participar de atividades de recreação enquanto os adultos curtem  a exposição “Vida ao ar livre”, realizada pela Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta). Os mais prendados poderão aprender a arte dos bordados e quem quiser curtir uma onda mais zen vai curtir a exposição de quadros da Organização Brahma Kumaris.

Já no parque Parque Municipal Américo Renné Giannetti, vão rolar oficinas de origami e de reutilização de sucatas, além de uma bela exposição de orquídeas e de fotos sobre a biodiversidade do parque.

Brasília

Quem gosta de música não vai perder as atrações musicais do Festival da Águas, na Concha Acústica (Lago Paranoá), com entrada franca. A partir das 10h os shows começam com Lado A, The Fingers, Hermes Prada e Som de Bob; a partir das 16h, no Palco Principal 1, é a vez de Zeca Baleiro, MV Bill, Pitty, CPM 22 e Banda H3 se apresentarem; e às 16h40 entram em cena os mineiros do Skank, seguidos das bandas NX Zero, Ponto de Equilíbrio e Planta e Raiz.

Também vale a pena curtir a 1ª exposição Oportunidades ambientais,  com 80 estandes. A mostra apresenta artesanatos de material reciclável, biojoias, ecoturismo, vermicompostagem, biscoitos artesanais, carro elétrico, bicicleta de bambu e muito mais.

E a galera do esporte terá a chance de se divertir com a maratona de canoagem, o Circuito Internacional de Jet Ski e apresentações de wakeboard, além das oficinas de skate, grafite e dança de rua.

Curitiba

Na capital paranaense, o domingo começa com o a exposição Safári dos Sentidos, no Museu Botânico de Curitiba. A exposição é direcionada aos deficientes visuais, que terão contato com animais taxidermizados do acervo do Museu de História Natural. Haverá placas em braile com nomes e curiosidades e sons dos animais.

No parque Barigui, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente vai expor uma embarcação carregada com entulho retirado de rios da capital. A intenção é mostrar o grave problema causado pelos resíduos sólidos lançados nos cursos fluviais. A exposição faz parte de um trabalho de mobilização social junto com o projeto Águas do Amanhã, do Grupo Paranaense de Comunicação (GRPCom). Quem for ao parque neste domingo ainda poderá participar de oficinas de reciclagem de lixo, gincanas e ajudar na coleta do lixo reciclável produzido no próprio parque.

E na segunda-feira, (6/06), começa a tradicional Feira do Meio Ambiente, na Rua XV de Novembro, com exposição de práticas de sustentabilidade.

Porto Alegre

Neste domingo, às 15h, tem apresentação do teatro de bonecos “A Incrível Descoberta da Natureza”, na Praça Júlio Mesquita (Rua General Salustiano, embaixo do Aeromóvel). Em caso de chuva, a atração será transferida para a Usina do Gasômetro. No mesmo horário, em frente ao Monumento do Expedicionário, o Conselho de Usuários do Parque Farroupilha promove a palestra Xadrez Ecológico e Meio Ambiente. A entrada é gratuita e dispensa inscrições.

A 27a Semana do Meio Ambiente de Porto Alegre continua até o dia 12 junho com atividades como passeio ciclístico interparques, palestra com o ex-deputado federal Fernando Gabeira, oficina de cultivo básico de orquídeas e muito mais.

Rio de Janeiro

Na capital carioca, a CEDAE vai comemorar a Semana Mundial do Meio Ambiente convidando os moradores do Rio a plantar uma árvore. A partir deste domingo até o dia 11/06, folders impressos em papel reciclado contendo uma semente de ipê amarelo serão distribuídos nos pedágios da Ponte Rio-Niterói e Via Lagos, no projeto Rio Academia em Copacabana e para as crianças que visitarem a Estação de Tratamento de Água (ETA) Guandu.

Quem visitar o Pão de Açúcar amanhã também vai sair de lá com a sua sementinha e poderá conferir uma exposição de fotografias que retrata paisagens naturais em pequenos planetas. A mostra estará aberta a todos os visitantes e poderá ser vista no Morro da Urca até o dia 12 de junho. O ingresso para o bondinho já inclui a visitação.

Salvador

Prepare a sua magrela, pois amanhã tem bicicletada às 7h30, saindo do Farol da Barra, seguida de uma série de atividades no Jardim de Alah. A Semana do Meio Ambiente soteropolitana continua até o dia 10 de junho com painel sobre mudanças climáticas, mini-curso de introdução ao direito ambiental na UFBA e muito mais.

 

Leia também:

– Neste fim de semana tem Virada Sustentável em São Paulo



Tags: , , , , , , , ,




Belo Horizonte investe em mobilidade

Luana Caires
11.11.2010

Corredor exclusivo para ônibus de Curitiba, foto: Ivan Bueno

A prefeitura de Belo Horizonte vai implantar um sistema de BRT (Bus Rapid Transit). Com ele, os ônibus circularão por faixas exclusivas, o que deve proporcionar um aumento de mais de 40% na velocidade média dos coletivos. Além disso, o sistema vai contar com controle informatizado da operação no corredor, oferecerá aos passageiros informação em tempo real via sms e serão construídas estações com plataformas niveladas com o piso do ônibus e que permitem o pré-pagamento das tarifas, semelhantes às de Curitiba. O projeto será realizado em parceria com o ITDP, Instituto para Políticas de Transporte e Desenvolvimento. Em conjunto conjunto com novas ciclovias, é uma grande cartada da capital mineira para transformar sua mobilidade. Mas o projeto não é consenso e há quem desconfie da sua capacidade de melhorar o trânsito na região metropolitana.

A ideia da prefeitura é atrair o usuário do automóvel para o transporte coletivo, que precisa ganhar conforto e rapidez para se tornar atraente. A rodada inicial de implantação desse sistema deve custar R$ 1,026 bilhão (R$ 51,3 milhões dos cofres municipais e R$ 974,7 milhões em recursos do governo federal, via PAC), e a primeira área a receber as vias para trânsito rápido de ônibus será a avenida Antônio Carlos, que deve ser concluída em 2012.

Quem prefere pedalar pela cidade também terá novidades. Serão investidos R$18 milhões em sinalização, faixas com cor e piso especial, campanhas educativas e estacionamentos para as magrelas. Hoje, Belo Horizonte possui apenas 22 quilômetros de ciclovias, mas a expectativa é de que a cidade tenha quase 150 quilômetros delas até 2012.

Essas iniciativas visam desafogar o trânsito da cidade até 2014, quando receberá milhares de visitantes para a Copa do Mundo, mas muitos acreditam que, apesar de muito bem-vindas, elas não serão suficientes para resolver definitivamente os nós do trânsito em BH. Para os críticos, a expansão do metrô é apontada como a melhor opção, já que, enquanto o BRT trabalha com a capacidade de 19 mil passageiros por hora por sentido, o metrô é capaz de carregar 60 mil. Além disso, o sistema de ônibus em vias rápidas é limitado, pois que depende da existência de avenidas muito largas para funcionar.

No entanto, os altos investimentos necessários para as obras de expansão do metrô têm feito os órgãos públicos procurarem outras soluções. Um cálculo feito pela Associação Nacional de Transportes Urbanos aponta que a implementação de 10 quilômetros desse meio custa 18 vezes mais que a mesma distância de BRT, e o tempo de implantação desse último é bem inferior ao do metrô, que levaria 9 anos. Portanto, mesmo sem ser ideal, a curto prazo, o sistema de ônibus em vias rápidas parece ser a solução possível para desafogar a cidade.



Tags: ,