Fugindo do calor e da conta de ar-condicionado

Raul Bueno
09.02.2011

As boas e velhas brises e persianas. Esse prédio goza das duas, foto: Raul Bueno

Estamos em pleno verão. Até abril, sol de rachar e muito calor. Quem mora em residência voltada ao leste, sofre pela manhã. Aqueles virados para oeste, só conseguem voltar para casa à noite. Soa familiar? É, segundo os especialistas em conforto térmico, os europeus constroem pensando no inverno e nós deveríamos o fazer pensando no verão. Infelizmente, a regra não é essa. Economizamos na obra para, depois, sofrer na habitação com um isolamento térmico de terceira. Felizmente, existem formas de minorar o problema.

O arquiteto João Figueiras Lima, o Lelé, idealizador dos Hospitais da rede Sarah Kubitschek, famoso entre outras coisas por sua arquitetura climática no Nordeste do Brasil, precisou recorrer ao ar-condicionado em um projeto de hospital no Rio de Janeiro. Entretanto, o prédio gasta uma fração da energia comumente necessária para a função, devido ao bom isolamento térmico e sistemas de ventilação. Quer dizer, quando não dá para dispensar o aparelho, é possível reduzir sua necessidade.

Muitos dos antigos apartamentos construídos em cidades quentes, como o Rio de Janeiro e até Campinas (SP), vinham com um acessório em suas janelas, a persiana externa, também conhecida como persiana Copacabana. Ela foi muito usada em quartos e suítes entre os anos 50 e 70.  Como fica do lado de fora da janela, mantém o calor por lá refletindo suas causas, a luz e os raios infravermelhos. Outro recurso é o brise soléil, um quebra-sol que impede a entrada direta da luminosidade.

Por que então, nas últimas décadas, as construtoras pararam de instalar persianas externas e brises? Bem, elas encarecem a obra. Depois da casa habitada, quem paga a energia elétrica é o comprador e este, costumeiramente, é mais sensível e informado sobre as economias do presente do que aquelas produzidas ao longo dos anos.

Quanto uma persiana pode economizar? Fazendo cálculos básicos, um quarto de 12m² com um janelão de 4,5m² sem proteção precisa de um condicionador de ar de 13.400 Btus. Se tiver persiana, esse valor cai para 11.400 Btus. Trata-se de uma redução de 2.000 Btus ou 15% do total. Nada desprezível, pois economiza 585 Watts/hora ou cerca de 70 reais por mês para cada cômodo desse tamanho, considerando um uso de 8 horas diárias do aparelho.

A persiana mantém o calor do lado de fora, ao contrário da proteção interna à janela, croqui: Raul Bueno

Parabéns a quem mora em um apartamento antigo e é o orgulhoso proprietário de um sistema de persianas Copacabana. Você já economiza energia. Mas e quem não tem essa sorte e mora em um prédio sem o recurso?

Uma janela de vidro fechada por causa do ar-condicionado não impede a entrada dos raios infravermelhos, mas atrapalha a sua saída. Cortinas blecaute de plástico e insulfilm até escurecem o ambiente, mas também absorvem, armazenam e transmitem calor para dentro do apartamento. Faça uma experiência: após duas horas, encoste numa cortina blecaute que recebeu a mesma quantidade de sol que uma cortina branca e constate que a última estará mais fria.

Para os arrojados e que pensam a longo prazo, a solução é fazer uma reforma que instale brises ou persianas. Não é barato, mas, com base na economia de eletricidade, o custo da obra deve se pagar em cerca de 5 anos. Porém, é bem possível que a alteração esbarre na convenção do condomínio e que o projeto, para sair, precise ser aprovado e seguido pelos vizinhos.

Se a reforma não for possível, uma maneira simples e funcional de atacar o problema é usar uma cortina de pano branco ou mesmo uma placa de isopor, essa última fixada no vidro com fita dupla-face. Ambas refletirão a luz para fora.  Se o local não ficou escuro o suficiente para um cineminha em plena tarde, coloque um blecaute por trás da cortina branca. Ok, agora você só consegue ver a vista quando abre a janela. Mas não se pode ter tudo nesta vida, certo? A não ser que a gente pense um pouco mais antes de construir e comprar casas e apartamentos.

 

*Raul Bueno mora no Rio de janeiro e é um ciclista inveterado.  Além disso é Arquiteto Urbanista, trabalha na Defournier & Associados e leciona no Bennett e na FAU-UFRJ.


O arquiteto João Figueiras Lima, o Lelé, idealizador dos Hospitais da rede Sarah Kubitschek, famoso entre outras coisas por sua arquitetura climática no Nordeste do Brasil, precisou recorrer ao ar-condicionado em um projeto de hospital no Rio de Janeiro. Entretanto, o prédio gasta uma fração da energia comumente necessária para a função, devido ao bom isolamento térmico e sistemas de ventilação. Quer dizer, quando não dá para dispensar o aparelho, é possível reduzir sua necessidade. 

 

 

Muitos dos antigos apartamentos construídos em cidades quentes, como o Rio de Janeiro e até Campinas (SP), vinham com um acessório em suas janelas, a persiana externa, também conhecida como persiana Copacabana. Ela foi muito usada em quartos e suítes entre os anos 50 e 70.  Como fica do lado de fora da janela, mantém o calor por lá refletindo suas causas, a luz e os raios infravermelhos. Outro recurso é o brise soléil, um quebra-sol que impede a entrada direta da luminosidade. 

 

 

Por que então, nas últimas décadas, as construtoras pararam de instalar persianas externas e brises? Bem, elas encarecem a obra. Depois da casa habitada, quem paga a energia elétrica é o comprador e este, costumeiramente, é mais sensível e informado sobre as economias do presente do que aquelas produzidas ao longo dos anos. 

 

 

Quanto uma persiana pode economizar? Fazendo cálculos básicos, um quarto de 12m² com um janelão de 4,5m² sem proteção precisa de um condicionador de ar de 13.400 Btus. Se tiver persiana, esse valor cai para 11.400 BTUs. Trata-se de uma redução de 2.000 Btus ou 15% do total. Nada desprezível, pois economiza 585 Watts/hora ou cerca de 70 reais por mês para cada cômodo desse tamanho, considerando um uso de 8 horas diárias do aparelho. 

 

 

Parabéns a quem mora em um apartamento antigo e é o orgulhoso proprietário de um sistema de persianas Copacabana. Você já economiza energia. Mas e quem não tem essa sorte e mora em um prédio sem o recurso?  

 

 

Uma janela de vidro fechada por causa do ar-condicionado não impede a entrada dos raios infravermelhos, mas atrapalha a sua saída. Cortinas blecaute de plástico e insulfilm até escurecem o ambiente, mas também absorvem, armazenam e transmitem calor para dentro do apartamento. Faça uma experiência: após duas horas, encoste numa cortina blecaute que recebeu a mesma quantidade de sol que uma cortina branca e constate que a última estará mais fria. 

 

 

Para os arrojados e que pensam a longo prazo, a solução é fazer uma reforma que instale brises ou persianas. Não é barato, mas, com base na economia de eletricidade, o custo da obra deve se pagar em cerca de 5 anos. Porém, é bem possível que a alteração esbarre na convenção do condomínio e que o projeto, para sair, precise ser aprovado e seguido pelos vizinhos. 

 

 

Se a reforma não for possível, uma maneira simples e funcional de atacar o problema é usar uma cortina de pano branco ou mesmo uma placa de isopor, essa última fixada no vidro com fita dupla-face. Ambas refletirão a luz para fora.  Se o local não ficou escuro o suficiente para um cineminha em plena tarde, coloque um blecaute por trás da cortina branca. Ok, agora você só consegue ver a vista quando abre a janela. Mas não se pode ter tudo nesta vida, certo? A não ser que a gente pense um pouco mais antes de construir e comprar casas e apartamentos.



Tags:

49 respostas para “Fugindo do calor e da conta de ar-condicionado”

  1. Adriana Sansão disse:

    Eu sou muito orgulhosa da minha sensacional persiana Copacabana e da parede de 40 cm que bloqueia o calor para dentro da minha casa.

    Seria muita loucura se o conforto ambiental a longo prazo virasse exigência na construção na forma de lei?

    • Já que existem graus variáveis de conforto térmico e que é sempre melhor deixar a escolha aberta, ao invés de obrigar que tal criar mais informaçào e incentivo? Por exemplo, poderia haver uma nota tipo Inmetro para conforto térmico entre A e E. Segundo, construções que não levassem isso em consideração poderiam pagar algum tipo de taxa.

  2. Bruna disse:

    Ai como eu queria…. Otima materia Raul!!!!!

  3. Armando disse:

    Viva Raul!

    Se fizer uma pesquisa vai encontrar no sul da Espanha uma persiana em palhinha que os habitantes colocam nas janelas dos apartamentos, similar à persiana Copacabana. Vivo na cidade de Lisboa, inclusive já comprei esse tipo de persiana o que me satisfaz na redução de calor dentro de casa sem perder a luminosidade da mesma e claro na poupança na conta da electricidade.
    Abraço

    • raulbueno disse:

      Caro Armando, obrigado pela contribuição! Existem mesmo várias maneiras de reduzir o calor nas casas e apartamentos. Isso sempre foi feito antes do advento do ar condicionado e da energia barata. Hoje sabemos que o consumo em excesso de energia causa danos ao meio ambiente, assim, vivam as persianas de palha, os brises e mucharabis!

      Vi que Portugal já está dando passos largos para a certificação energética: http://www.adene.pt/ADENE/Canais/SubPortais/SCE/I

    • sonia disse:

      tem dessa persianas pra vender aqui?em Porto Alegre, moro num ape de frente pro poente..um inferno de calor, nada resolve.

  4. Daniele Bragança disse:

    Foi a matéria mais útil que li nos últimos tempos, Obrigada Raul!!!

  5. Nádia Santos disse:

    Adorei a matéria Raul, vou fazer o teste com o isopor. Porque as persianas Copacabana :S não tem como. Vou torcer para que o isopor amenize um pouco o sol que adora esquentar o meu quarto..

    • raulbueno disse:

      Procure colocar na face externa do isopor folhas de papel branco, tipo sulfite, ou mesmo um cartão duplex (esse vai escurecer um pouco mais o ambiente, refletindo mais da luz solar). Resumindo: O duplex (ou sulfite) é para refletir, enquanto o isopor é para isolar.

  6. […] e da conta de ar-condicionado 11/02/11 » Compartilhe este link no Twitter Por Raul Bueno*, O Eco Cidades, […]

  7. Diana Levacov disse:

    Raul, Faz diferença qual o tipo de tecido usado na cortina branca?

  8. Carla disse:

    Raul, parabéns pelo site! Muito interessante e bem explicada a matéria, inclusive o desenho. Agora posso explicar melhor aqui em casa a sensação de "forno" na sala e no quarto. No desespero do calor intenso nos último dias, coloquei papel alumínio (aquele usado no forno comum). Mas, não sei se é certo. Se é usado no forno para assar alimento, vamos ficar assados tb? Vou seguir sua idéia, tentar o isopor, pelo menos já sabemos que é usado para manter alimentos e bebidas gelados.

    • raulbueno disse:

      O alumínio ajuda a refletir a luz e o calor. Mas precisa ser colocado em conjunto com um isolante térmico, uma placa de isopor, papelão ou mesmo uma cortina de pano.

  9. André Carvalho disse:

    Raul… interessante a sua matéria, mas, acho que nos esquecemos de algo: o consumo de energia elétrica pelo uso de lâmpadas, já que o ambiente interno ficará mais escuro… nesse caso, é bom lembrarmos aos nossos leitores sobre o uso correto de lâmpadas econômicas (frias) mais caras que as incandescentes mas de impacto a médio e longo prazo, inestimável ! Abraços !

    • raulbueno disse:

      Com certeza. Mas hoje, o gasto de lâmpadas florescentes, ou mesmo LED, compensam o ganho térmico. E se for o caso ideal, um edifício com brise, ele se beneficia da luz refletida.

  10. Gloriavelasco disse:

    Otima matéria Raul. Este site vale a leitura. Tenho dúvida se a altura da casa influí na ventilação interna. E se uma casa construída em posição diagonal no terreno, na direção leste-oeste, seria um forno ou se receberia os raios do sol inclinados amenizando o calor e a luz.

    • raulbueno disse:

      Olá Glória,

      A altura da casa, ou seu pé direito (altura do piso ao teto), influencia no conforto térmico: Quanto maior o pé direito, maior a quantidade de ar. Isso é bom para quem não tem ar-condicionado, para usar ar condicionado, um pé direito baixo é mais econômico (mas nunca esquecer da manutenção do sistema e de abrir as janelas para renovar o ar).

      A orientação da casa pode ser com vista para norte, sul, leste e oeste. Nas áreas mais quentes do Brasil, leste e oeste são as fachadas mais difíceis de proteger do Sol.De Belo Horizonte para o Sul, o Norte é a que recebe maior carga térmica, entretanto, é a mais fácil de proteger.

      Espero ter ajudado.

  11. regina disse:

    Adorei as suas dicas. Onde se compra essas placas de isopor aqui no Rio?

    • raulbueno disse:

      O melhor lugar é no Saara. Lojas como a Plast Rei na Rua Buenos Aires e outras costumam ter preços competitivos. Em lojas de material de construção pode-se encontrar os blocos de isopor que agora são usados para o preenchimento de laje pré-fabricada, mas eles são bem mais grossos.

      Mais barato que isso, apenas ir direto no fornecedor. Aí, se você conseguir algum, me avisa! 😉

  12. armando disse:

    excelente e omeio ambiente agradece.

  13. Gustavo Tylor disse:

    Agradeço, muito a pouco tempo comprei meu ar condicionado neste loja e http://www.colombo.com.br/produto/Eletrodomestico
    são dicas bem ateis principalmente pelo fato de um menor gasto de luz!
    Abraços!

  14. Ricardo C. Bastos disse:

    Eu fiz um teste na minha casa com uma folha de 4cm espessura de isopor e do lado que bate o sol eu revesti o isopor com a parte laminada das caixinhas de leite, utilizei ao todo 8 caixinhas de leite, o que garantiu tb uma "impermeabilização" quando chovia. O teste virou definitivo estou juntando mais caixas de leite e vou colocar nas outras janelas, ressalto que não ficou feio e a temperatura de acordo com meu termometro foi reduzida em 9.C 🙂

  15. rose louzada disse:

    qual o uso correto das cortinas black out? a parte metalizada fica para o lado de dentro ou de fora? Parabens pelas preciosas dicas. obrigada.

  16. Marcia Araujo disse:

    Raul por mais esclarecedora que seja a matéria, ainda fiquei na dúvida. Eu coloco o isopor e a cortina branca pela parte de fora do apartamento (janela) ou pela parte de dentro? O apartamento dos meus filhos (estudantes) é bem pequeno e as janelas são de vidros e a tarde o sol entra, ficando insuportável tanto o sol refletindo, como o calor.

    Atenciosamente,

    Márcia Araujo

    • Raul Bueno disse:

      Oi Márcia, o Eduardo está certo: Sendo um isopor simples, o ideal é que fique pelo lado de dentro, para que fique abrigado das intempéries (chuva, vento etc). Uma estrutura mais robusta, como um brise ou persiana pode ficar do lado de fora, e será mais eficiente que o isopor, que por sua vez é melhor que uma cortina.

  17. Marcia, pelo lado de dentro.

  18. delton disse:

    boa noite.gostaria de saber se alguem conhece algum produto que se passa por cima do reboco para diminuir calor e barulho,desde ja obrigado delton porto alegre.

  19. Fatima disse:

    Graça e Paz! amei sua materia, vc. poderia me informar um fornecedor das persiana copacabana, desde já agradeço sua resposta, Obrig.

  20. Marlusa Carvalho disse:

    obrigada por tão útil e esclarecedor texto… vou experimentar as placas de isopor hoje mesmo… envio abraço desde o RS.

  21. lus disse:

    Posso conseguir essa persiana atualmente? Meu apartamento no verão é insuportável. Caso não seja possível qual a melhor solução em toldos, qual retem melhor o calor ?

  22. Ana Maria F Lobo disse:

    Boa Noite, moro no Rio de Janeiro estou a pricurando onde encontrar essas Persianas externas Copacabana, por favor me passem o telefone ou e mail
    Obrigada
    Ana Lobo

  23. Sonia Luna disse:

    Preciso de uma solução com urgência para conter o calor das janelas de blindex que ficam na laderal de minha casa, podem por favor enviar um projeto?

  24. Mônica disse:

    Gostei muito da matéria, mas fiquei com uma dúvida. Para janelas grandes, aproximadamente 8 m2, a persiana copa cabana funciona? E possível?

  25. adriana disse:

    gostaria de saber se os insulfilm com ceramica que diminuem o calor pode ser uma opcao quando nao podemos ficar sem a transparencia do vidro.Se existe diferenca entre o espelhado ou nao quanto a diminuir mais ou menos a temperatura. Afinal a tecnologia esta na ceramica do insulfilm ou nao?Alem disto a temperatura se mantem no vidro pelo o que entendi entao ficaria mais quente a noite ?Mas se uso somente o consultorio de dia ,isto reduziria o consumo do ar durante o dia. Por favor me ajudem, nao sei se vou piorar a situacao

    • raqs disse:

      Coloquei nas janelas do meu apartamento película espelhada própria para reduzir o calor. Funciona super bem, o ambiente fica sim mais fresco, mas tem que trocar a película a cada três ou quatro anos.

  26. Ricardo P. Fernandes disse:

    Gostaria de saber porque na maioria das edificações de João Pessoa (PB), recentes ou antigas, as janelas não contemplam venezianas. Note-se que isso ocorre também em apartamentos de médio padrão. É uma cidade litorânea de intensa luminosidade (o Cabo Branco é o ponto mais oriental do Brasil!) e muito calor. Segundo um diretor da Cirella essa é uma das particularidades do consumidor nordestino. Mas para mim é totalmente ilógico não ter veneziana na janela (o custo não é significativo diante do conforto proporcionado).

    • Raul Bueno disse:

      Os construtores não se preocupam com o consumo dos proprietários. Daí a posição da Cirella. Basta ver quantas cortinas proprietários de novos imóveis sem persiana colocam por dentro dos edifícios, causando o efeito descrito no artigo.

      O correto adequamento ao clima têm que ser uma exigência dos proprietários ou mesmo do povo, através da câmara de vereadores!

  27. Raul Bueno disse:

    Recebi este e-mail, coloco-o aqui pois creio que a resposta contribui para o artigo:

    Boa tarde Raul,
    meu nome é — e sou estudante do 3º período do curso de Engenharia de produção. Para um determinado trabalho da faculdade eu preciso estudar sobre brises e assim eu descobri seu site mais especificamente esse link: http://www.ecocidades.com/2011/02/09/fugindo-do-c… onde é possível ver que foi feito um cálculo para saber o quanto uma persiana externa pode economizar.

    Eu gostaria de saber então se este cálculo serve também para os brises e se seria possível você me informar como você chegou a esse cálculo ou como você encontrou essa formula (ou seja, um referencial teórico) para que eu possa consultar. E se não for muito incomodo, você saberia me dizer uma fórmula para calcular a quantidade de calor que pode ser reduzida com a instalação de brises?

    Aguardo resposta, pois este trabalho é muito importante para meu curso.
    Desde já agradeço a sua atenção.
    Att,

    • Raul Bueno disse:

      Alguns fornecedores de ar-condicionado colocam estas planilhas on-line com possibilidade de informar janelas que pegam sol. Basta presumir que uma janela com veneziana não pega sol, uma vez que a luz e o infra-vermelho são refletidos para o exterior.

      Se você quiser se aprofundar no assunto, segue bibliografia. Um dos autores, Oscar Corbella, possui vários softwares que fazem este cálculo de modo mais detalhado.

      Bibliografia:

      Brown, Robert D., e Terry J. Gillespie. Microclimatic Landscape Design: Creating Thermal Comfort and Energy Efficiency. John Wiley and Sons, 1995.
      Corbella, Oscar, e Yannas Simos. Em busca de uma arquitetura sustentável para os trópicos. Conforto Ambiental. 2a ed. Rio de Janeiro: Revan, 2009.
      Olgyay, Victor, e Aladar Olgyay. Design with Climate: Bioclimatic Approach to Architectural Regionalism. Van Nostrand Reinhold, 1992.

  28. jose carlos disse:

    Consegui resolver o problema com cortina de correr em duas bandas de 1,35X 0,75 de pequenas placas de jogo americano de madeira de bambú coladas em duas placas de eva e 2 placsa de isopor sobreposta coladas na parte voltada para o sol. o gasto é mínimo e o efeito e a visualização ficam perfeitas. Gastei o total de r$ 54, 00 em 18 peças de jogo americano de bambú, r$ 12,00 da cola, r$ 12,00 nas 2 peças de eva para colar as placas de jogo americano, e r$ 8,00 nas 2 placas de isopor, r$ 15, 00 no trilho de cortina comum de aluminio e nos rodizios, TOTAL DA CORTINA ANTICALORr r$ 101,00

  29. willian disse:

    Vou coloca pracas de izopor no mei foro de 4cm voce sabe se ira resfreca mas

  30. willian disse:

    Me falarao que se eu colocar pracas de izopor en todo foro de minha casa ira esquentar menos mas estou em duvida das espesura das folha de 4cm sera que e sufisiente ou de 5cm fico grato por resposta meu telhado e telha e foro mas esquenta se augue fa fes ou coloucou izopor e teve rezutado me responda o de 4 ou 5 cm obrigado

  31. Flavia Carvalho disse:

    Olá, como mencionastes no texto, o insulfilm não adianta para diminuir o calor dentro do cômodo, mas o insulfilm espelhado, teria algum benefício?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.