Favelas precisam ser urbanizadas, diz Joan Clos

Gustavo Faleiros
22.08.2011

Semana da Água, em Estocolmo - foto: Alex de Sousa

“O mundo precisa de um novo movimento higienista.”  Este foi o argumento que o espanhol Joan Clos,  atual diretor do programa para cidades da ONU (UN-Habitat), levou ao público da 21a Semana Mundial da Água, que começou nesta segunda na cidade de Estocolmo, Suécia. Em referência às políticas públicas que transformaram cidades como Paris, Rio de Janeiro, Nova York e Londres no início do século 20 – quando ruas estreitas e cortiços foram substítuitos por novos bairros com luz elétrica e água encanada -, o representante da ONU disse que é preciso urbanizar as favelas em diversas partes do mundo.

Em cidades e bairros onde há qualidade de vida, a superfície ocupada com espaços públicos é de 25% a 35%. Em contraste, nas favelas apenas 2% a 3% da área ocupada é utilizada como ruas, praças e outros espaços públicos.

De acordo com os dados da UN-Habitat cerca de 800 milhões de pessoas vivem hoje em favelas na América do Sul, África e Ásia. Em alguns países, 60% da população urbana vive em assentamentos ilegais com habitações sem infraestrutura. A urbanização recente em nações em desenvolvimento, apontou Clos, difere daquela ocorrida no século passado por não vir acompanhada de industrialização.

Por isso, segundo ele, investimentos urbanos seriam uma forma de gerar oportunidades de emprego e renda. “Se não existe a rua, não existe um lugar para acumular recursos, como água, saneamento, telecomunicações”, argumentou. Segundo o espanhol, em cidades e bairros onde há qualidade de vida, a superfície ocupada com espaços públicos é de 25% a 35%. Em contraste, nas favelas apenas 2% a 3% da área ocupada é utilizada como ruas, praças e outros espaços públicos. “A rua é a fábrica da cidade, é onde se produz o bem comum”, disse Clos.

Barcelona: Pontos Verdes ampliam reciclagem do lixo problemático

Estudo de 100 cidades conclui que são vilãs do efeito estufa

Um porto mais verde e articulado para o Rio

Sua palestra foi proferida na abertura do Semana Mundial da Água, que neste ano tem como tema principal o desafio de gerir os recursos hídricos em um mundo de urbanização acelerada. Até 2050, espera-se que cerca de 6 bilhões de pessoas vivam nas cidades, o dobro do atual número, ou aproximadamente 80% da população mundial projetada nas próximas décadas. “As áreas urbanas necessitam de um manejo adequado de seus recursos hídricos para que se evitem conflitos com as necessidades em zonas agrícolas fora das cidades”, frisou o diretor do Instituto Internacional para Água em Estocolmo, Anders Berntell

Oportunidade com as Olimpíadas no Rio 

Antes de assumir o cargo de diretor da UN-Habitat no ano passado, Joan Clos, foi prefeito de Barcelona entre os anos de 1997 e 2006.  Ele também esteve envolvido diretamente com a preparação das Olimpíadas de 1992, que até hoje são consideradas como projeto que mudou a face de Barcelona. Conversamos com Clos a respeito das Olimpíadas que começam a ser prepadas no Rio de Janeiro e ocorrem em 2016. Veja vídeo abaixo

 

Links Externos:

– Nações Unidas – Habitat 
– Semana Mundial da Água – Estocolmo

 



Tags: , , ,

Uma resposta para “Favelas precisam ser urbanizadas, diz Joan Clos”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.