Açúcar: o grande vilão da dieta?

Luana Caires
20.04.2011

Para Lustig, o açúcar deveria ser considerado uma toxina, foto: Ween Nee

Qual seria a sua reação se você descobrisse que o açúcar – esse que adoça o nosso cafezinho – é tóxico? Pois bem, a afirmação é de Robert Lustig, um especialista em desordens hormonais e em obesidade infantil da Escola de Medicina da Universidade da Califórnia, em São Francisco, uma das melhores dos EUA. E ele não está se referindo apenas àquele pó branco refinado, conhecido como sacarose, mas também ao xarope de milho rico em frutose (HFCS), um adoçante encontrado nos refrigerantes carbonatados, néctares, salgadinhos, xaropes, geleias e outros produtos adoçados.

Para Lustig, é o alto consumo de açúcar, e não de gordura, o responsável pelo aumento vertiginoso do número de americanos obesos e diabéticos nos últimos 30 anos. E mais do que isso: ele também estaria por trás de outras doenças crônicas, como hipertensão, problemas cardíacos e até câncer. Segundo o especialista, deveria ser posto na lista de coisas que estão nos matando, assim como o álcool e o cigarro.

O açúcar é composto por glicose e frutose. Enquanto a primeira substância é metabolizada por todas as células do corpo, a segunda é metabolizada pelo fígado. Em experimentos realizados com ratos de laboratório foi observado que, quando os animais ingerem altas quantidades de frutose, o fígado converte grande parte desse monossacarídeo em gordura e, em conjunto, parece induzir também à resistência à insulina – o que está relacionado às doenças acima, principalmente a chamada diabetes tipo 2, a mais comum.

No entanto, as consequências danosas do consumo do açúcar demorariam anos para causar danos sérios. A verificação da hipótese de Lustig pede estudos de longo prazo. A última vez em que uma agência do governo americano analisou os efeitos do açúcar foi em 2005. Na época, os autores do relatório desse estudo apontaram evidências de que o seu consumo aumentaria o risco de doenças cardíacas e de diabetes, mas os dados colhidos não foram considerados conclusivos. Na falta de resultados mais sólidos, Lustig é muito criticado por se referir ao açúcar como toxina ou veneno.

Ainda assim, as ideias do especialista chamam a atenção do público. Desde que sua palestra Sugar: The Bitter Truth (Açúcar, a Verdade Amarga) foi publicada na internet, em maio de 2009, já foi vista mais de 1 milhão de vezes e a audiência cresce a 50 mil exibições por mês – número impressionante para um vídeo de 90 minutos sobre frutose e fisiologia humana.

Enquanto não surgem estudos definitivos a respeito do açúcar, vale a pena seguir as sugestões da maioria dos nutricionistas, mantendo uma dieta rica em frutas e vegetais e, ao mesmo tempo, com menos gordura, sal, carne vermelha e, claro, pouco açúcar. Afinal, aquele que adoça o seu café e sobremesa pode acabar confirmado como o vilão que mina a sua saúde.

Para quem tiver fôlego, segue o vídeo de uma hora e meia (em inglês).

 

 



Tags: ,

4 respostas para “Açúcar: o grande vilão da dieta?”

  1. Sim, comer fruta demais engorda. E diabéticos podem comer fruta, mas com restrições. A diferença do açúcar refinado é que ele é muito mais concentrado. É aquela história, o organismo precisa de açúcar, mas não em super doses. A diferença entre o remédio e o veneno é a dose. A folha de coca é um estimulante leve, já a cocaína é uma droga destrutiva. Sem querer comparar açúcar a uma droga altamente destrutiva, a metáfora procede. Abs

    • fernando carvalho disse:

      Escrevi um livro sobre o açúcar. Tem duas versões um pdf grátis na internet (o livro negro do açúcar) e uma versão mais atualizada nas livrarias (açúcar o perigo doce, editora Alaúde). o pdf tem 200 páginas e o livro 356.
      No livro veremos que a sacarose não é apenas tóxica. Ela é cariogênica, inflamatória de mucosas, possui alta osmolaridade, "glicosila" proteínas não-enzimaticamente (ex:hba1), etc. Criei também a comunidade do orkut açúcar mata!

  2. Fernanda disse:

    Não como açúcar há dois anos e, nesse período, quando uma ou outra vez acabei ingerindo um pouco por engano ou por incapacidade de resistir a um chocolate industrializado (faço o meu próprio com cacau, leites vegetais e mel), sinto dor de cabeça, enjôo e até certa taquicardia. Pra mim, açúcar é droga, "a primeira droga de todo ser humano", já dizia um amigo monge zenbudista. Tenho conseguido adiar o contato do meu filhote de um ano e meio com esse veneninho branco e espero protege-lo o melhor possível dele daqui pra frente.

  3. Magda disse:

    Eu reduzi bastante o açúcar na minha dieta e isso me trouxe benefícios à saúde.
    Mas não foi fácil. A gente se "vicia" no açúcar.
    Tive que usar um shake especial para me ajudar a controlar o impulso por açúcar, por recomendação do meu médico nutricionista.
    Valeu a pena. Hoje além de não ter mais esse impulso, também perdi bastante peso.
    Para quem quiser informações sobre esse shake acesse http://www.herbadireto.com.br/shake
    Ajuda muito mesmo, e ainda por cima emagrece. E dá energia sem precisar do açúcar.
    Abraços a todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.